segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Conta outra!

Quando se fala em escândalos políticos, dizem que o povo tem memória curta. Não sei se é verdade, às vezes a sucessão acontecimentos é tão intensa que acaba por gerar um excesso de informação (é muita informação!), ou ainda, a classe política é tão desacreditada, que não resta ao público outra solução senão abstrair.

Infelizmente essa é a nossa cultura, repleta de seres nefastos que não estão nem aí pro contribuinte, me parece que é essa a lei.

O que gostaria de fazer aqui é um exercício de rememorar fatos da história recente do nosso estado (essa fazenda que é o Espírito Santo), sem citar nomes, mas fontes.

A constatação que chega é surreal! A certeza de impunidade é evidente ... as figuras que se envolvem com os fatos deveriam (de dever mesmo, estou falando de Direito!) ser uma coisa, mas, segundo foi noticiado, teriam agido de forma diametralmente oposta.

Pois bem, houve (?) um tempo que uma organização fazia lei aqui no Estado. Essa organização tinha como membros desde autoridades constituídas até pistoleiros.

O fato é que essa organização, que foi alvo de uma dissolução judicial, oficialmente, não existe mais.

Essa organização “filantrópica”, em verdade, era pára-militar, o que a Constituição Federal não permite.

Por ter essa característica, precisava estar munida, na acepção exata do termo.

Dentro desse contexto, certa vez, um cara muito popular no estado, há uns dez anos, foi preso com um carregamento de armas de usos exclusivo do exército.

Para soltá-lo, e para que as coisas ficassem “tranqüilas”, a cúpula da política capixaba se mobilizou.

Membros do alto escalão do Executivo; Legislativo e Judiciário trabalharam e o rapaz das armas estava solto.

Salvo engano, mas como citado em alguns jornais, me parece que os líderes dos três Poderes constituídos (em verdade, aqui havia um quarto Poder) neste estado mexeram seus pauzinhos.

Quem não tá morto, tá livre, solto e no Poder ... nauseante, cara!

Bem, é só um registro: registro de que sou bobo falando disso, ou registro do que poderíamos nos envergonhar ...


Para mais detalhes:
http://www.observatoriodaimprensa.com.br/artigos/iq100720022.htm
http://www.anpr.org.br/portal/index.php?option=com_content&task=blogcategory&id=75&Itemid=159
http://www.terra.com.br/istoe/politica/1999/10/01/000.htm




MÚSICA S CALHAR:
“Não há possibilidade de viver com essa gente, nem com nenhuma gente, nem com nenhuma gente, a desconfiança te cercará como um escudo, pinte o escaravelho de vermelho.” (O Hierofante – Secos & Molhados – João Ricardo e Oswald de Andrade)

3 comentários:

Lucy. disse...

Isso tudo que vc descreveu é algo que ja soa natural para maioria das pessoas, tlvz seja por isso que ngm faça nada e continue tudo sempre a msma coisa .
Certos habitos são dificeis de mudar, imagina isso na política de um país que ja começou errado!? rs
Mas como dizem "A esperança é a ultima que morre" e ela vive do lado de cada brasileiro que assim como vc acredita que isso pode mudar!
adorei oque vc escreve, mto bom!
bjos! Ana.

PS:adorei a foto! *__*

Wonderwoman disse...

Esbarrei no seu blog!
Gostei muito.
Linkei no meu!
Sou uma sofredora orientanda de mestrado do Zaneti, lembra:
Abraços

Luisa Coser disse...

eii, to adorando acompanhar isso aqui. mas olha, seu humor tem até bastante açúcar. claro, seu sarcasmo é nítido e pra quem te conhece, fica bem claro que é você. achei demais as trilhas sonoras. tem que incluir um tom zé nisso aí.acho até que você podia abrir outro blog, inventar um nome, e falar mesmo. dar nomes, fontes, sobrenomes, endereços, e divulgar ainda. aliás, isso é direito. amigo, tomara que você venha. te mostro os hábitos políticos daqui!!! saudades, Lu